Oftalmologia

Oftalmologia, ciência médica preventiva

A ideia de que o trabalho de médico oftalmologista é restrita apenas à prescrição de óculos para quem tem problemas de visão, ainda é comum entre as pessoas.

É evidente que a prescrição de óculos é importante, mas está longe disso a função da oftalmologia da vida de qualquer pessoa.

Prescrever um determinado tipo de lente para cada tipo de necessidade não é uma tarefa simples: uma consulta oftalmológica deve ser completa, obrigando o oftalmologista a examinar o olho completamente, desde sua parte externa à mais interna, buscando fazer um diagnóstico preciso e completo, além de buscar qualquer sinal de doenças próprias do olho ou de manifestações oculares de outras doenças sistêmicas graves.

  • (adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});
    Num exame detalhado de oftalmologia, uma pessoa portadora de um determinado grau de correção da visão pode ter o diagnóstico precoce de doenças como a hipertensão, o diabetes, o glaucoma, os tumores e hemopatias, neuropatias e cardiopatias, doenças reumáticas e degenerações retinianas, entre outras.

    A importância de um exame ocular, portanto, não se prende somente à visão, mas se estende a quase 4 mil doenças que podem ser diagnosticadas precocemente através do exame de visão.

    Desta maneira, é simples concluir que uma queixa de queda na visão ou qualquer outra que se apresente, pode não ser exatamente problema de visão, necessitando de óculos, mas de qualquer outra que esteja interferindo com a visão do paciente.

    Além disso, devemos nos atentar para o fato de que pelo menos 10% de crianças em idade escolar apresentam problemas de visão, incluindo doenças que podem trazer problemas futuros, seja em sua vida pessoal ou profissional.

    Entre os problemas que podem ser detectados através de um exame oftalmológico, podemos citar, além dos já mencionados, que se mostram através do exame ocular, aqueles próprios da visão, e que devem ser corrigidos com a máxima rapidez, quando detectados:

    Ametropia

    A ametropia é um erro de refração ocular, como a miopia, quando não se enxerga claramente objetos à distância; ou a hipermetropia, quando o paciente não enxerga claramente de perto; ou o astigmatismo, quando a visão acaba distorcendo os objetos tanto à distância quanto perto.

    Qualquer desses problemas apresentados no exame oftalmológico pode ser corrigido com o uso de óculos ou de lentes, sendo também corrigidos através de cirurgia a laser.

    Catarata

    A catarata apresenta-se com a opacificação do cristalino, ou seja, o cristalino vai se tornando opaco e obscurecendo a visão.

    O surgimento da catarata geralmente acontece após os 60 anos, embora também algumas crianças possam já nascer com o problema.

    O tratamento da catarata só pode ser feito através de cirurgia, consistindo na remoção da catarata e na implantação de uma lente intraocular, num procedimento cirúrgico que leva poucas horas, liberando o paciente após o tratamento.

    Estrabismo

    Uma criança pode nascer estrábica, ou seja, na linguagem popular, vesga, e isso pode ter relação com alguma doença ocular congênita, como tumor ou glaucoma.

    O estrabismo, em alguns casos, pode aparecer após os seis meses de vida, o que leva os pais a observarem detidamente qualquer diferença nos olhos da criança.

    O problema precisa de tratamento médico, consistindo basicamente de uso de tampão e de óculos. Caso não seja resolvido com esse tratamento, a solução deve ser cirúrgica.

    O estrabismo, além de se apresentar esteticamente incômodo, também pode prejudicar a visão correta do paciente.

    Glaucoma

    O glaucoma é o aumento da pressão nos olhos e, se não for bem tratado, pode levar à perda gradual e irreversível da visão.

    Trata-se de um problema que pode atingir qualquer pessoa, inclusive crianças, que podem nascer com a doença.

    O tratamento do glaucoma deve ser feito com uso de colírios, ou de alternativas mais radicais, como o laser e cirurgias, quando se tornam mais sérios.

    Exoftalmia e proptose

    Alguns casos mais raros de problemas relacionados à tireoide ou tumores podem fazer com que os olhos se projetem para fora.

    Esse sintoma deve ser levado a conhecimento médico, logo que observado, para verificar suas origens e proceder ao tratamento.

    O tratamento deve levar em conta o problema que lhe deu origem, assim como a solução localizada, que pode demandar a necessidade de cirurgia para corrigir a posição dos olhos.

    Leucocoria

    A leucocoria apresenta-se com um reflexo esbranquiçado nos olhos:

    Nas crianças maiores, o reflexo pode aparecer em fotos comuns, podendo ser o sinal de um tumor ou de retinopatia da pré-maturidade, ou seja, uma alteração no crescimento da retina.

    O tratamento precisa da avaliação do oftalmologista, podendo ser feito clinicamente ou através de laser ou cirurgia. A falta de cuidado com a leucocoria pode levar à cegueira.

    Como podemos observar, não basta apenas ter problemas de visão para consultar um oftalmologista. Todos os cuidados devem ser tomados, principalmente por que os olhos são o nosso maior contato com o mundo.